sexta-feira, 10 de maio de 2019

I Encontro do Grupo de Estudos Teorias dos Movimentos Sociais


 


 No dia 03 de maio o grupo de estudos "Teorias dos Movimentos Sociais" realizou o primeiro encontro com discussões sobre textos de Sidney Tarrow, John McCarthy e Mayer Zald. 

Próximo encontro no dia 14/06, Sexta-feira, 14h. Sala 104 Centro de Aulas C



                                 



























GRUPO DE ESTUDOS TEORIAS DOS MOVIMENTOS SOCIAIS - NEMOS/GPDS

O objetivo do grupo de estudos é realizar debates e discussão de textos sobre as principais concepções sociológicas dos movimentos sociais. No primeiro semestre, serão discutidas as 4 principais concepções de movimentos sociais e no último encontro será decidido pela continuidade e temática do grupo para o segundo semestre.
Local: Sala de aula 201 - Centro de Aulas C - Caraíba/UFG. Todos os encontros serão nessa sala.
Os textos estão disponibilizados na copiadora da Faculdade de História/UFG.
03 de maio
1º ENCONTRO: MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSO POLÍTICO
Bibliografia básica:
1) McCARTHY, John. e ZALD, Mayer. Mobilização de Recursos e Movimentos Sociais: Uma Teoria Parcial. Movimentos Sociais, 01(01). Jul./Dez. 2016. Gabrielle.
Texto também disponível em:
https://redelp.net/…/rms/art…/view/05mccarthyzaldms02/pdf_10
2) TARROW, Sidney. O Poder em Movimento. Movimentos Sociais e Confronto Político. Petrópolis: Vozes, 2009. Óscar.
14 de junho
2º ENCONTRO: NOVOS MOVIMENTOS SOCIAIS
Bibliografia básica:
1) TOURAINE, A. Movimentos Sociais. In: MARTINS, J. S; FORACCHI, M. M. Sociologia e Sociedade. Rio de Janeiro: LTC, 1977. Cleito.
2) MELUCCI, Alberto. A Invenção do Presente. Movimentos Sociais nas Sociedades Complexas. Petrópolis: Vozes, 2001. Jean.
28 de junho
3º ENCONTRO: MARXISMO E MOVIMENTOS SOCIAIS
Bibliografia básica:
1) JENSEN, Karl. Teses Sobre os Movimentos Sociais. Revista Marxismo e Autogestão. Vol. 01, num. 01, jan./jun. de 2014. Brenda e Amanda
Texto também disponível em:
https://redelp.net/rev…/index.php/…/article/view/9jensen1/63
2) VIANA, Nildo. Os Movimentos Sociais. Curitiba: Prismas. 2016. Brenda e Amanda.


terça-feira, 3 de julho de 2018

Lançamento de livros de membros do Nemos no Ruptura Cultural!

No último dia 30 de junho, no Ruptura Cultural - evento do Ruptura Espaço Cultural - foram lançados livros de Cleito Pereira dos Santos, Nildo Viana, Felipe Mateus, Edmilson Marques, Gabriel Teles, Lisandro Braga e outros membros do NEMOS.




sexta-feira, 6 de abril de 2018

Maio de 1968 e o Marxismo Autogestionário - Seminario Nemos e GPDS


Maio de 1968 e o Marxismo Autogestionário



Informações e inscrições:
gpdsufg@gmail.com

Inscrições:
As inscrições são gratuitas e é necessária para receber certificado e também para aqueles que apresentarão comunicações. Para se inscrever é preciso enviar um email contendo as seguintes informações:

Nome completo:

Curso e universidade (para estudantes) ou instituição (para professores e pesquisadores):

Email: (digite o seu endereço de email).

Resumo (para quem for apresentar comunicação).

O resumo deve ter de 200 a 300 palavras, contendo tema, objetivo, base teórica e, opcionalmente, metodologia e conclusões. A temática das comunicações devem estar relacionadas com o tema do evento e questões relacionadas ou derivadas, como movimento estudantil, marxismo, lutas sociais, anos 1960, contemporaneidade e lutas sociais.

Apresentação:

Maio de 1968 em Paris foi uma rebelião estudantil que foi acompanhada por um forte movimento grevista (o maior da história da França). O paradigma hegemônico da época, o reprodutivismo (expresso em ideologias como funcionalismo, estruturalismo, teoria dos sistemas, etc.), e a relativa estabilidade do capitalismo e elevação do nível material de vida nos países capitalistas imperialistas (vivendo sob o chamado "estado de bem estar social), entra em colapso com a ascensão e radicalização do movimento operário e do movimento estudantil no final dos anos 1960, em vários países. A luta estudantil e operária que atingiu maior radicalidade e quase se tornou uma revolução social, foi o Maio de 1968. Após o maio de 1968, muita coisa mudou. Uma dessas mudanças foi cultural. Por um lado, emergiu uma contrarrevolução cultural preventiva (expressa no novo paradigma hegemônico e substituto do reprodutivismo, o subjetivismo, e suas ideologias, tal como o pós-estruturalismo) e, por outro, emergiu o marxismo autogestionário, uma atualização e desenvolvimento da concepção marxista autêntica, em contraposição ao pseudomarxismo. O Seminário Maio de 1968 e o Marxismo Autogestionário visa abordar essas questões, tanto do maio de 1968 quanto da emergência e desenvolvimento do Marxismo Autogestionário. Para tanto, será abordado a formação do marxismo autogestionário após o maio de 1968 e suas relações com este evento, a relação entre marxismo e autogestão (anterior a esse acontecimento histórico), o marxismo autogestionário francês e o marxismo autogestionário contemporâneo, bem como a questão da autogestão social. As sessões de comunicações terão essas temáticas e outras relacionadas, como movimento estudantil, lutas sociais nos anos 1960, problemas e história do marxismo, entre outros.

Programação:

Dia 15 de maio 

08:00 - 12:00: Palestra
Maio de 1968 e a formação do marxismo autogestionário.
Nildo Viana (UFG).

14:000 - 18:00: Minicurso
Autogestão: Teoria e Prática
Gabriel Teles (UFG) e Lucas Maia (IFG).

Dia 16 de Maio:

08:00 - 12:00: Mesa Redonda - O Marxismo Autogestionário

Marxismo e Autogestão
José Santana da Silva (UEG)

O Marxismo Autogestionário Francês
Marcus Vinicius Conceição Costa (IFG/UFG)

O Marxismo Autogestionário Hoje
Edmilson Marques (UEG)

14:00- 18:00: Sessão de comunicações

Realização: 
GPDS (Grupo de Pesquisa Dialética e Sociedade) e NEMOS (Núcleo de Estudos e Pesquisa em Movimentos Sociais). 
Apoio: NPM/UEG; NEPALM/UFMS, NUPAC.